13 de jun de 2016

Resenha - Talvez Um Dia

Livro: Talvez Um Dia
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Gênero: Romance
Sinopse: "Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora."

Sydney em seu aniversário que 22 anos descobre que está sendo traída pela sua melhor amiga e seu namorado. Ao descobrir, ela quer ficar o mais longe possível deles e para isso, já que dividia seu apartamento com sua "melhor amiga", sem lugar para ir resolve aceitar a ajuda de Ridge. Ridge é seu vizinho que todas as noites vai para a varanda tocar seu violão e ela assiste. Ele tem namorada, mas com todos esses acontecimentos acabam se aproximando muito. Tudo que Sydney não queria é que a história que tinha acabado de acontecer com ela se repetisse. E isso vai exigir grande esforço de ambas as partes.

"Tenho medo de que os sentimentos sejam a única coisa na nossa vida sobre a qual não temos qualquer controle." pág. 212

Essa sinopse não traz nem a metade dos sentimentos que esse livro vai te proporcionar. Nem a metade do quanto essa história é profunda e vai tocar todos aqueles que já leram a Colleen quanto aqueles que querem começar. A autora consegue se recriar e diferenciar seus livros de uma forma única, e ainda sim deixar sua marca registrada que é o drama. Cada livro parece que me surpreende cada vez mais. Quando eu espero que ela não possa criar nada novo, ela vem e quebra todos esses paradigmas. Os personagens principais tem uma química tão forte e tão grande que em certos momentos você sente vontade de chorar ao torce pros dois. A escrita é rica, fluida e cheia de sentimentos. Você consegue sentir isso.

Mais uma vez essa parceria de arte e livro deu muito certo. Depois de unir poesias com a história em Métrica, Talvez Um Dia traz a música unida com a história. Ambos os personagens tem sua vida interligada a ela e vai ser também o que ligará os dois. Outro ponto chave foi a deficiência que Ridge possui. Isso fará com que certas situações sejam criadas e eles passem por situações não imaginadas.

"Às vezes as palavras podem causar um efeito muito maior no coração do que um beijo." pág. 260

O livro todo percorre o drama e a culpa, quando os dois começam a ver que seus sentimentos um por outro cresce. É angustiante e ao mesmo tempo explicável o porquê disso tudo. Ambos precisam amadurecer e crescer com relação ao que querem e ao que não querem. E esse drama chega ao pico quando conhecemos a Maggie, namorada do Ridge.

Quando você começa a entender o passado dela, e o que ela vive, você não sabe para quem mais torcer. Só desce lágrimas pelos seus olhos. E isso resulta a um ponto onde o livro não tem volta e as decisões são tomadas. Confesso que esse final me lembrou muito Um Caso Perdido e isso é uma coisa positiva (é meu livro favorito da autora). Além dos percalços da vida, devemos amadurecer e saber onde erramos num relacionamento ou não. Devemos nos conhecer para saber se seguimos em frente ou não. Devemos nos amar primeiro acima de qualquer outra pessoa. E isso ficou bem claro na Sydney no final. Apesar de se doar de alguma maneira, ela quer se colocar em primeiro lugar.

"Mas é arte. E arte é apenas um meio de expressão. Uma expressão não é o mesmo que um ato, por mais que às vezes parece ser. Compor não é o mesmo que informar diretamente a alguém sobre os seus sentimentos." pág. 201

Eu não tenho palavras para dizer o quanto sou fã da autora. Quando você percebe que leu o livro em apenas 5 horas, isso pode dizer tudo. Os livros dela, são livros que você entra e não quer sair mais. Você chora, sorrir, rir, fica nervoso e angustiado, porém sempre tira lições por trás. Porque ela traz nosso cotidiano, traz situações que podem acontecer com qualquer um ou mostrar que a vida é uma tragédia mas que temos que erguer a cabeça e seguir. É um romance que você lê e para um pouco para pensar na vida de maneira geral. É incrível.

E vocês, leriam Colleen Hoover? Ou já leram? Deixa nos comentários.

4 comentários :

  1. Oiii, tudo bem?
    Eu realmente nunca li livros dessa autora, mas no momento acredito que não faria mito meu gênero, não sou muito chegada em romances, por mais que sua resenha tenha ficado muito boa, pularei a dica.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi, ainda não li nada dessa autora, mas sei que ela tem uma legião de fãs e tenho uma amiga que é fã e toda vez me pergunta se já li algum livro dessa autora. Sinto que estou perdendo algo, por não ler seus livros, mas sinceramente não sei por qual livro começar, pois todos tem uma premissa instigante e esse não é diferente. Amei a resenha e já estou apaixonada por mais um livro da autora. Vou ver se essa ano ainda leio algo dela. Amei o modo como descreveu o livro e seu amor por ele e pela autora.
    bjus

    ResponderExcluir
  3. nunca li pelo fato de não me envolver com as premissas de seus livros... mas pela primeira vez um me atraiu a atenção, e foi esse título... talvez eu leia apenas para conhecer a escrita dela e seria interessante pra sair de minha zona de conforto...
    bjs, flor....

    ResponderExcluir
  4. esse livro e tudo de bom <3 , eu acabei lendo ele ainda quando só tinha la fora ainda bem que a editora o trouxe pra cá , já li quase todos os livros da colleen estou interessada em ler métrica mas não sei se e bom ..

    Bjs
    http://estantedasara.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Colocar um comentário me deixaria muito feliz pois saber sua opinião é essencial para o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre :)