22 de jun de 2017

[Resenha] Chamas do Passado

Livro: Chamas do Passado #4
Série: Homens Marcados
Autora: Jay Crownover
Editora: V&R Editoras
Páginas: 298
Gênero: Jovem Adulto
Nota: 5/5

Nash Donovan tem o corpo quase todo coberto por um enorme dragão. Seu jeito imponente de andar, a intensidade de seus olhos violeta e sua pecaminosa pele dourada garantem ao tatuador um mistério capaz de enlouquecer qualquer mulher. O bad boy não é do tipo que acredita no amor. Porém, por trás de todo o seu ar marrento, existe uma ferida que ainda está aberta. A enfermeira Saint Ford nunca superou o bullying na adolescência e nem a dor causada por seu primeiro amor. Quando os anos de colégio acabaram, ela se mudou para outra cidade para tentar apagar as lembranças do passado. Agora, a ruiva voltou para Denver e tornou-se uma mulher encantadora e uma excelente profissional. Porém, ela ainda é insegura e não consegue confiar em homem algum.Uma fatalidade fez com que o caminho deles voltasse a se cruzar. Somente Saint poderá curar as dores de Nash. Mas, para isso, ela deverá permitir que o calor das chamas dele derreta o seu coração. E Nash é o único homem capaz fazê-la se sentir uma mulher desejada de verdade. Chamas do passado é um romance sobre autoaceitação e desejo. Uma história envolvente temperada com intensas cenas de paixão.

Com o meu casal favorito da série Homens Marcados, Jay Crownover chega no quarto livro da série ainda em alta. É incrível como um romance um pouco diferenciado pode nos cativar de maneira única, principalmente quando você se identifica com os personagens. E o que não falta aqui é personagens para admirar.

Após a bomba soltada em Armas da Sedução, Nash passa a frequentar diariamente o hospital de Denver. Com um parente muito próximo doente, ele acaba encontrando diversas vezes Saint Ford.  Saint Ford é uma enfermeira que na adolescência fez parte da sua vida. Estudando na mesma escola, e totalmente deslocada do seu grupo de amizade, ele não sabe que seu passado rebelde acabou deixando cicatrizes nela. E agora, achando a bonita, e se interessando mais pela sua personalidade, ele desconhece ainda o que não faz ela se entregar de corpo e alma. Sendo insegura, tímida e fechada, é um mistério que ele quer muito resolver e ter na vida. Além de não querer entregar novamente seu coração de bandeja para alguém que talvez não o ame. Será que os dois conseguirão superar o passado e ter um futuro? O que Nash fez para deixar tantas marcas na Saint?

20 de jun de 2017

[TAG] dos 50% de 2017


Meio do ano e estamos aqui, fazendo a famigerada TAG dos 50%. Estou bem feliz com todos os livros lidos no ano, mas como sempre, temos as surpresas, decepções, os que não gostou e muito mais. Por isso resolvi respondê-la. Vamos lá? Ela é grandinha — então tenham paciência — e tentarei ser breve nas respostas. 

1. O MELHOR LIVRO QUE VOCÊ LEU ATÉ AGORA, EM 2017.
Difícil. Eu sempre sou péssima para falar melhor livro do ano, semestre ou algo assim pela quantidade que eu leio. Porém um diferente e que não deva comentar mais para frente é The Heart of Betrayal de Crônicas de Amor e Ódio da Mary E. Pearson. Quem já viu as resenhas por aqui sabe que eu ando diferente da opinião de massa com relação a um personagem que é meu favorito. Ver seu crescimento aqui me pegou de surpresa e eu adorei.

2. A MELHOR CONTINUAÇÃO QUE VOCÊ LEU ATÉ AGORA, EM 2017.
A Esperança de Jogos Vorazes, Suzanne Collins. Depois de anos enrolando o início e o fim da trilogia, tomei coragem e li os três seguidos. Porém como comecei em 2016, os dois últimos ficaram para 2017 e com certeza ainda nenhuma série que comecei ano passado, bateu a melhor continuação que A Esperança. Jogos Vorazes é Jogos Vorazes né?

16 de jun de 2017

[Bienal do Livro RJ] Autores internacionais confirmados



Menos de 3 meses para um dos maiores eventos literários do Brasil, trago para vocês alguns autores confirmados que estarão nesse super evento. São autores trazidos pela Bienal do Livro RJ, ou pela editora, ou que estamos com algumas suposições de vir. Vamos ver quais são?


14 de jun de 2017

[Resenha] Outlander, A Libélula no Âmbar

Livro: Outlander, A Libélula no Âmbar #2
Série: Outlander
Autora: Diana Gabaldon
Editora: Saída de Emergência (atualmente é publicada pela Arqueiro)
Páginas: 944
Gênero: Romance/Histórico/Fantasia
Nota: 5/5
Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII. O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?

Uma situação já esperada se confirmou: Diana Gabaldon está entre minhas escritoras favoritas. Não tem como qualquer outra autora gerar a mistura certa de gêneros no ponto ideal fazendo com que 944 páginas sejam lidas de maneira rápida sem torná-la cansativa. E A Libélula no Âmbar, é meu novo favorito da série.

Por ser continuação e por trazer dois momentos distintos na narrativa, não farei um resumo do que se trata a história porque qualquer situação pode levar a um spoiler, e como eu não gosto, não me acho no direito de dar para os leitores. O que se é certo: teremos a continuação das cenas da Claire e do Jaime de modo impecável.

12 de jun de 2017

[Resenha] Sempre

Livro: Sempre #3
Série: Os Lobos de Mercy Falls
Autora: Maggie Stiefvater
Editora: Agir Now
Páginas: 370
Gênero: Romance/Sobrenatural
Nota: 5/5
Antes. Quando Sam e Grace se conheceram, ele era um lobo e ela, uma garota. Quando por fim ele descobriu como ser um garoto também, o amor dos dois se transformou de uma paixão distante na intensa intimidade de uma vida compartilhada. Agora. A história deles deveria terminar aí. Mas o destino de Grace não era permanecer humana. Agora ela é a loba. E os lobos de Mercy Falls estão todos prestes a serem assassinados em uma caçada definitiva. Sempre. Sam faria qualquer coisa por Grace. Mas será que um garoto e o amor dentro dele são capazes de mudar um mundo hostil e fatal? Passado, presente e futuro vão colidir em um momento decisivo — um momento de vida ou morte, de adeus ou para sempre.

*spoiler dos livros anteriores no 2° parágrafo. Se ainda não leu, recomendo avançar na resenha.*


Maggie e sua maneira de escrever sempre me encantando. Não tem como não se apaixonar por essa mulher, nem tem como não se apaixonar pelo seus personagens. A trilogia Calafrio conquistou meu coração e me deixou mais à parte da maneira que a autora escreve, que infelizmente pode não agradar à todos. Mas já falei que sou fã de carteirinha certo?!

No terceiro livro da série Grace é loba. Tendo como obstáculo sua transformação em períodos de frio, ela e Sam entram numa montanha russa no relacionamento. Tendo que sumir da cidade, desaparecer em situações que ocorrem a transformação, ela viverá altos e baixos durante a narrativa. Ainda mais com seus pais, que estarão mais presentes que nunca, questionando cada passo seu. E para piorar fatores externos podem colocar a vida do bando em risco. Com a iminência de um colapso emocional, Sam e Grace terão que ultrapassar vários percalços para o amor dois dois sobreviverem. E mais do que isso, salvar quem eles amam e o que são.

10 de jun de 2017

[Avaliação] Vale a pena comprar um Kindle?



Tem um tempinho que estava com a ideia na cabeça de comprar um leitor digital. Sempre preferi livros físicos, por não gostar de tablets e de ler no celular, porém nunca tive experiência com um aparelho somente para leitura. Eis que estava querendo ler um livro tem um tempinho — Libélula no Âmbar da Diana Gabaldon — só que ele é um calhamaço de 900 páginas. E como meu tempo livre é somente em transporte público, ficava muito difícil de levá-lo por causa do peso. Com a ideia já por um tempo me rondando, me rendi e comprei o Novo Kindle 8° geração. Procurei me informar sobre suas qualidades, defeitos, como funciona, como se compra, o máximo de informações que pudesse. E com isso acabei optando não comprar o Paperwhite por ser mais caro e não saber se me adaptaria bem ou não ao uso de um aparelho assim. Com isso formei algumas opiniões, então vamos aos fatos querendo deixar claro que são minhas impressões.

8 de jun de 2017

[O Que Eu Li] Maio

Depois de uma decepção que foi a quantidade de leituras de Abril — e você encontra quais foram aquiMaio veio para regularizar o andamento da minha meta pessoal. Com o total de 11 livros, as obras lidas foram do meu agrado, o que venho tentado prezar por um tempo. Vamos conhecê-las?

6 de jun de 2017

[Resenha] Armas da Sedução

Livro: Armas da Sedução #3
Série: Homens Marcados
Autora: Jay Crownover
Editora: V&R Editoras
Páginas: 286
Gênero: Jovem Adulto
Nota: 5/5
Rome Archer é um herói de guerra, mas acabou de deixar o exército e está completamente perdido. O mais velho e musculoso dos irmãos Archer tornou-se um animal selvagem e precisa de alguém que o pegue de jeito. A desbocada gerente do estúdio de tatuagem Homens Marcados, Cora Lewis, sempre soube manter os rapazes na linha. Mas por trás de toda sua atitude e jeito descolado, ela sonha em encontrar o amor perfeito.  As tatuagens cheias de cores espalhadas pelo corpo dela contrastam com as cicatrizes na pele dele. Há uma grande tensão entre os dois. E quando mundos tão opostos se juntarem será como uma explosão de fogos de artifício: intensa e colorida.

Com um casal para lá de inusitado — e fofos junto, confesso — Armas da Sedução também ganhou meu coração. Aliás, tem algum da série Homens Marcados que não ganhe meu coração?! Jay Crownover já está experta em fazer histórias encantadoras.

Cora está a espera do seu príncipe encantado: não pode ser bad boy, não pode dar trabalho, alguém que a faça se sentir nas nuvens, que não tem uma carga emocional por trás, ou seja, uma pessoa perfeita. Desiludida por um noivado interrompido no passado, ela só quer encontrar sua alma gêmea da maneira mais fácil. 

4 de jun de 2017

[Book Haul] Maio

Maio foi um mês que fez o Book Haul ser bem recheado. Porém, acredito que seja um dos últimos até Agosto afinal teremos a Bienal do Livro do RJ, e como sempre tento guardar dinheiro para o mega evento, fico em torno dos próximos meses sem fazer alguma compra. Se houver chegada de algum volume de parceria talvez eu faça a postagem, só que não será nada garantido.

Então por enquanto vamos falar sobre os livros que estiveram na minha caixinha nesses 30 dias. Vamos lá?

2 de jun de 2017

[Resenha] Amante Eterno

Livro: Amante Eterno #2
Série: Irmandade da Adaga Negra
Autora: J.R.Ward
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 448
Gênero: Sobrenatural/Romance/Erótico
Nota: 5/5
Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra. Dentro da Irmandade, Rhage é o vampiro de apetites mais vorazes. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir, baseado em seus instintos, e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo para todos à sua volta. Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater a sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está buscando o amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama.

Já falei aqui o quanto adoro quando você não cria expectativas sobre uma determinada história e quando realiza a leitura se pergunta como não tinha gostado antes dos personagens. Amante Eterno é assim. Rhage e Mary te conquistam quando você menos espera.

Trazendo a história do nosso querido Hollywood, Rhage sempre quis um relacionamento que dois dos seus irmãos da Irmandade tem: encontrar uma Shellan. Porém com a sua maldição — toda vez que fica estressado e com raiva, se transforma em uma besta que sai matando tudo pela frente — ele tem medo de colocar seus irmãos e sua possível fêmea em risco. Por isso quando Mary entra de um jeito avassalador na sua vida, ele não esperava que junto viesse um caminhão de emoções.



Mary Luce é uma humana que não tem mais nenhum parente vivo e sem esperança para nada: teve câncer que quase a matou e parece que ele ameaça voltar. Após uma fatídica noite em que conhece um menino de rua que aparentemente pertence ao mundo sobrenatural, ela irá conhecer Rhage. Rhage é tudo que uma mulher sonha e quer, mas Mary sabe que não é uma mulher que todo mundo sonha. Será ela capaz de enfrentar seus maiores medo para ficar com o vampiro? E Rhage, saberá lidar com a sua besta para tentar ter um relacionamento com a humana?