19 de dez de 2017

[Resenha] Neve e Cinzas

em 19 de dez de 2017

7 comentários
Livro: Neve e Cinzas #1
Série: Neve e Cinzas
Autora: Sara Raasch
Editora: HarperCollins Brasil
Páginas: 320
Gênero: Fantasia
Nota: ⭐⭐⭐⭐
Dezesseis anos atrás o Reino de Inverno foi conquistado e seus cidadãos, escravizados, sem família real e sem magia. A única esperança de liberdade para o povo do reino jaz nos oito sobreviventes que conseguiram escapar, e que seguem esperando uma oportunidade para recuperar a magia de Inverno e reconstruir o reino. Meira, uma órfã desde a derrota de Inverno, passou a vida inteira como refugiada, criada por Senhor, o general dos inverninos. Treinando para se tornar uma guerreira — e desesperadamente apaixonada pelo melhor amigo e futuro rei, Mather —, Meira faria qualquer coisa para ajudar o Reino de Inverno a retomar seu poder. Então, quando espiões descobrem a localização de um medalhão antigo capaz de devolver a magia ao reino, Meira decide ela mesma encontrá-lo. Finalmente ela está escalando torres e lutando contra soldados inimigos como sempre sonhou. Mas a missão não sai como planejado, e logo Meira se vê mergulhada em um mundo de magia maligna e poderosos perigosos. De repente, ela percebe que seu destino não está, e nunca esteve, em suas mãos. A estreia de Sara Raasch é uma fantasia cheia de ação sobre lealdade, amor e a capacidade de determinar o próprio destino.

Há quanto tempo não lia uma fantasia tão boa quanto esta. Neve e Cinzas foi uma surpresa ótima que esperava algo mediano, e encontramos um universo épico espetacular com uma personagem de cair o queixo. Você sai do primeiro volume querendo ler rapidamente o restante.

Meira é uma órfã de Inverno, um dos quatros reinos Estação de Primoria. Desde a queda dele, ela passou ao longo dos seus 16 anos sendo treinada para ser uma guerreira. Sem lembranças, afinal fugiu ainda bebê da guerra que Primavera impôs em cima de Inverno, ela almeja reerguer o povo e ser útil na missão. Porém, seu treinador Sir ainda acha que ela não está pronta e por isso nunca lhe dá algo de importância para fazer. Após não restar escolhas pois parte do grupo sobrevivente — 8 pessoas — está ferido ou muito machucado, Sir dá a tarefa de saber para onde os soldados de Primavera estão levando o condutor de Inverno — condutores são objetos que armazenam magia com a função de ajudar um determinado reino a ter poder de auxiliar seu povo, a enriquecer, a vencer guerras entre outras coisas, podendo ser usado para o bem ou não. É magia.


Entretanto nesse meio tempo, Meira verá que existe algo a descobrir e a ser explicado do que apenas recuperar o colar condutor de Inverno. Será que a magia ainda existe? Por que Primavera é tão forte? Quem é Angra, o condutor Real de Primavera? Poderes malignos, descobertas arrebatadoras e destinos incertos fazem com que ela duvide de tudo, até mesmo do seu futuro.

Pouquíssimos enredos me conquistam logo de cara, e com este volume não foi diferente. Por tê-lo desde seu lançamento que foi em 2016 presente de uma amiga, tinha esquecido diversas coisas lidas sobre o mesmo, então foi difícil me ambientar. São bastantes informações iniciais, que mostra como é a subdivisão do mundo criado, como cada local é denominado, como funciona os condutores Reais, a linhagem e tudo que a autora trouxe como pano de fundo. É curioso saber onde estamos entrando, fazendo com que leiamos de forma rápida esta parte, e ainda assim não deixando de ser ligeiramente confuso. É uma estruturação maravilhosa assim que você consegue captar o tom que a autora quer passar e demora. Me lembrou a forma que a Maggie Stiefvater usa esse recurso em Os Garotos Corvos trazendo a fantasia com força antes de narrar as situações.

"Assim somos todos nós, endurecidos demais pelo que deveríamos ser. Deveríamos ser uma família, não soldados. Mas tudo o que realmente nos conecta são histórias e lembranças do que deveria ser." pág. 75

É um desenvolvimento bem elaborado que quando menos espera estamos querendo saber qual é a verdade ou mentira, em como nossa protagonista sairá das aventuras e o que pode acontecer. Traz um leve romance, mas é nítido o destaque na parte fantástica. E esta, te deixa de queixo caído. Um dos plots twists que traz grandes reviravoltas nas páginas me foi fácil de saber, só que a forma como foi escrita tornou-se a magia da narrativa. A descoberta e a mudança de postura fez a cena ser brilhante.

E não poderia deixar de falar da melhor personagem criada em Neve e Cinzas. Protagonista, destemida e que rouba todos os holofotes esperados, Meira é uma guerreira muita representativa. Não esperava esta energia toda acumulada, no entanto ela é tudo e mais um pouco. Com toques reais em momentos que os sentimentos se sobrepõem a razão, quando ficar dividida entre uma paixão — teremos um "triângulo" amoroso — isso dará a voz a uma pessoa real, palpável ao leitor. Eu me encantei absolutamente por ela demonstrar um poder feminino que ainda não sabe que tem e que pode amadurecer. É praticamente um transcorrer da evolução dela. Sem dúvidas merece o destaque de ser o principal ponto da trilogia, mesmo que irrite no início — lembrando que a idade dela é de 16 anos.


O ápice das páginas finais construída ao longo das cenas, fecha de modo glorioso algo que vinha sendo bom. Por mais que seja uma trilogia, é uma obra considerada "redonda" porque tem um final sem um gancho aparente. Isto é bom pois alivia o coração do leitor sem deixar aquela afobação de "preciso urgente do próximo", não invalidando a curiosidade em querer saber como se resolverá uma continuação deixada. É um interesse em deixar expectativas diferenciado. 

De uma forma geral recomendo Neve e Cinzas. Parece que teremos um típico clichê do gênero e aos poucos descobre-se que não será assim. Temos um empoderamento que tem tudo para crescer nos sucessores e um universo épico fenomenal. Não comentado antes todavia é bom falar: todas as cenas de guerras e lutas tem momentos descritivos acertados. Nos dá uma noção e componentes suficientes para imaginar o que acontece sem ser alongado. É um literatura jovem boa.

"... Sempre haverá um eles em nossa nova vida, Meira. Eles tomam as decisões; eles moldam nosso futuro. O truque é encontrar uma forma de ainda ser você no meio de tudo isso." pág. 149

Na parte física a capa acompanha a edição original, o que sempre ganha pontos comigo, somado a esta ter tudo a ver com o conteúdo. Temos a representação de um chakram que será fundamental na personalidade da Meira, além de vermos dentro dele a representação do reino Inverno e o reino Primavera. Foram felizes na escolha. Na parte interna teremos cada início de capítulo numerado com a representação também do chakram, com um mapa logo nas primeiras páginas que nos situa nas cidades e terras criadas. Sou fã de mapas  no gênero. Não houve presença de erros ortográficos ou de revisão. Sem reclamação na parte física.

Estou com bastante expectativas para o próximo que terá leitura realizada só em 2018, visto que estamos em final de ano. Acredito que será uma das primeiras pois apesar de ter um final satisfatório quero descobrir detalhes desta criação e é onde eu acho que a autora vai apostar mais no sucessor. Ansiosa! E vocês, conheciam o livro? A autora? Ficaram curiosos? Deixa nos comentários!


7 comentários :

  1. Já ouvi coisas boas e negativas sobre esse livro, por sido tenho dúvida se leria ou não. Gostei de saber sua opinião.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Não conhecia a obra e apesar da sua ótima resenha, é o tipo de livro que não conseguiria ler. Não faz meu tipo.
    Dessa vez, passo a dica!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não conhecia essa série, mas achei interessante suas impressões. Não tenho muito o hábito de ler fantasias, mas dos poucos que li acabei gostando de alguns e de outros não; então costumo ter cautela com indicações de fantasia. Mas prometo pesquisar mais sobre essa série e quem sabe ler algumas coisa em breve. Obrigada pela indicação e parabéns pela leitura, resenha e fotos maravilhos. Sucesso e um 2018 maravilhoso.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Essa trilogia está nas minhas metas, espero poder ler em breve.
    Fantasias e distopia tem esse probleminha principalmente quando o autor quer jogar tudo de uma vez só ao invés de ir apresentando aos poucos a medida que as coisas vão se fazendo necessárias, mas já estou acostumada com isso 😀

    ResponderExcluir
  5. Uau!
    Fiquei bem curiosa com a obra, espero que você goste dos dois próximos livros tanto quanto gostou do primeiro. Espero poder ler em breve. Adorei sua resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Que fotos maravilhosas! Adoro fantasias e eu to com muita vontade de começar essa série..
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Que história incrível! Eu amo fantasia e estou chocada por ter conhecido essa série ainda, mas já vou correr atrás do meu exemplar.
    Bjs!

    ResponderExcluir

Olá! Colocar um comentário me deixaria muito feliz pois saber sua opinião é essencial para o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre :)

TOPO