14 de nov de 2017

[Resenha] Sway

em 14 de nov de 2017

12 comentários
Livro: Sway
Autora: Kat Spears
Editora: Globo Alt
Páginas: 256
Gênero: Young Adult / Contemporâneo
Nota: ⭐⭐⭐⭐
Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais... É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.

Pitadas de humor ácido e irônico é o que define Sway. Fora do clichê comum, definitivamente foi um dos melhores novos adultos que já li. Rápido, fluído e cativante, é imperceptível quando você é conquistado. Sabe aquelas frases "certinhas" que você reflete e faz pensar na vida? Encontraremos o oposto.

Jesse Alderman, conhecido também como Sway, pode arranjar o que você quiser, contanto que lhe pague. Desde drogas à garota do sonhos, Sway sabe como conseguir seus desejos mais profundos. E desta vez, seu cliente Ken Foster quer sair com uma garota fora do seu grupo, chamada Bridget Smalley. Ela é diferente de todas as garotas que conheceu. 


Altruísta e que sempre pensa no próximo, Sway se apaixona pelos defeitos e qualidade dela, e de soma acaba ficando amigo do seu irmão, Peter, que é fora do comum. Vendo que sua missão deu certo, até demais, ele ficará em dúvida se deve ou não tentar conquistar Bridget. Além disso, esse segredo de conhecê-la justificado pelo pagamento do Ken, será uma parede entre os dois. Haverá alguma forma dos dois terminarem juntos?

A obra era uma dos meus desejados desde seu lançamento em 2016. Primeiro  porque a capa é linda, e segundo porque quando li a sinopse, me encantei. Quando inicia-se as páginas, percebemos de cara que ele irá entregar tudo que é prometido. Jesse é um personagem que por si só é sarcástico de natureza, que quando se junta aos seus amigos e conhecidos que também são, dão um ótimo desenvolvimento. 

"É fácil se embriagar nesse tipo de poder. Reunir e guardar informações sobre as pessoas é um negócio, e um tipo de arte. Se você extrapola os segredos com muita frequência, as pessoas param de confiá-los a você. Saber quando usar uma informações é tão importante quanto possuí-la." pág. 61

A personalidade dele é o tom que fará o enredo andar. Por ser pelo seu ponto de vista, veremos seus questionamentos, suas convicções e seu medos que possui um olhar cruel ao mesmo tempo realista. Por ser realista demais, ele não é imune as coisas erradas, não é imune ao falar o que pensa, não é imune em achar que a vida pode ser horrível.

E entramos num questionamento pessoal se a vida é assim mesmo, ou imaginamos tanto uma realidade diferente. Gostei bastante destes toques, que os diferencia de qualquer outro da categoria, e equipara a uma Colleen Hoover na vida. O que surpreendente e é entendível, é quando vemos que reviravoltas clichês ou o famoso "alguém cede sua opinião" para o romance surgir não acontece. 


Confesso que fiquei esperando o dito cujo após o ápice do drama — aquelas cenas de declarações, de arrependimentos e de perdões — porém não acontece mesmo. E sabe que isso foi mais angustiante do que um plot twist romantizado? Pois é! A autora joga do lado contrário do esperado, e nesta história dá mais do que certo pelo conjunto. Personagens + personalidades + vivência de vida + momentos adequados.

Quem não me fez tanta diferença foi nossa protagonista. Vista como "perfeita", ela definitivamente incorpora este papel até nas situações em que tenta quebrar o esteriótipo. Os personagens secundários tiveram maior importância do que sua presença, na minha opinião. Peter e a amizade que é construída ganha espaço diversas vezes quando bem colocados. Mais do que somente formação de um casal, vemos uma amizade sem igual sendo erguida, e acho que foi um dos pontos mais altos das páginas.

"Desperdicei uma carta na manga por um abraço da Bridget e para dar a uns moleques lesados uma pista de treino? Valeu a pena? Galinha tem dente?" pág. 165

De uma forma geral as minhas expectativas foram atendidas. Um ótimo volume para passar o tempo, e para aqueles que gostam bastante do gênero é bem recomendado. Acho que ele não é tão divulgado, entretanto entra numa categoria bem superior a vários que vemos no mercado, então isso faz a leitura valer a pena. Recomendo.

Na parte física, como dito acho a capa bem bonita, juvenil e que chama atenção. A paleta de cores bem acertas e contrastadas dá um toque colorido além da escolha acertada em manter o título original pois tratamos de uma expressão que é bastante usada no conteúdo. Na parte interna achei a diagramação limpa, bem espaçada que faz a leitura render. Aliás os capítulos são curtos, o que é ideal neste tipo de romance. Também já comentado, a narrativa é feita em primeira pessoa pelo ponto de vista do protagonista masculino.


Já quero ler mais livros da autora? Bastante, entretanto não vi mais nenhum movimento para trazer algo dela. Tenho curiosidade por Breakway, lançado lá fora em 2015 e seu outro romance The Boy Who Killed Grant Parker, então vamos torcer para a editora trazer mais. Espero que tenham gostado!

E vocês, já leram algo da autora? Já conhecia Sway? Deixa nos comentários!

12 comentários :

  1. Eita que até eu fiquei com vontade de conhecer o Sway agora haiuhaiuhauiha
    É tão ruim quando a protagonista estraga um pouco a história, né? rs
    Mas fiquei com vontade de ler mesmo assim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá td bem, sua resenha foi ótima, fiquei muito curiosa em relação aos personagens, que parecem serem bem desenvolvidos, obrigado pela dica, anotado.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a proposta do livro. Gosto destes livros com "anti-eróis", sempre me apaixono por eles. Uma pena a protagonista passar batido, o que não deve tirar
    o mérido da história. Concordo com você em relação a capa, é bem bonita.
    Apesar de não conhecer a autora e nem saber do livro, dica anotada.

    Beijos
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Achei a ideia do livro muito legal e fiquei com muita vontade de ler Sway. Não conhecia nem li nada sobre o livro antes, mas fiquei curiosa.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana.

    É muito bom quanto a leitura consegue alcançar as expectativas e até fiquei com vontade de conhecer melhor a história que antes não tinha ficado interessada. Espero ter oportunidade de lê-lo em breve. Estou curiosa.

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Olá Ana,
    Ainda não li esse livro, apesar de tê-lo em casa para ler. Fiquei muito contente por ler suas impressões e satisfeita por saber que o personagem masculino é altruísta. Sempre vemos personagens femininas assim e é bacana ver isso mudando de polo.
    Espero que a oportunidade de ler surja logo.
    beijos

    ResponderExcluir

  7. oi, tudo bem?

    Já li esse livro e adorei.Foi uma ótima leitura, rápida e bem envolvente. Queria mais livros da autora para ler, vou tentar ver se tem mais lançamentos dela aqui no Brasil.

    ResponderExcluir
  8. Ola gostei da capa mais nao sei se vou querer ele nesse momento eu passo essa dica no momento

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Esse livro também está na minha wishlist desde o lançamento, mas cadê o tempo para ler? E o que eu mais gosto é esse seu comentário de que o livro não segue o padrão de plot twists romantizados. É bom quando somos surpreendidos né?
    Bjs!
    Quem Lê, Sabe Porquê

    ResponderExcluir
  10. Adorei saber que a obra cativa o leitor, o que me faz querer apostar na leitura e conhecer a trama e a escrita da autora que despertou em você o desejo de ler outras obras dela.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia a autora, mas acredito que essa obra agradará quem curte o gênero, o que não é o meu caso, infelizmente. Adorei sua resenha, muito bem elaborada!

    ResponderExcluir
  12. Um jeito diferentão de abordar um triângulo amoro, que o mais clichê dos clichês. Eu meio que fujo desse tipo de livro, mas gostei da nova roupagem pro romance. Não sei se eu leria, mas gostei de saber que tem gente tentando sair do óbvio.

    ResponderExcluir

Olá! Colocar um comentário me deixaria muito feliz pois saber sua opinião é essencial para o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre :)

TOPO